top of page
  • Foto do escritorSérgio Fadul / Franciscanos

Santo Isidro de Madrid


Também conhecido como Isidoro (questão de tradução), nasceu em Madri, na Espanha, em 1070, filho de pais camponeses, simples e seguidores de Cristo. O menino cresceu sereno, bondoso e muito caridoso, trabalhando com os familiares numa propriedade arrendada. Levantava muito cedo para assistir a missa antes de seguir para o campo. Quando seus atos de fé começaram a se destacar, já era casado com Maria Toríbia e pai de um filho.


Sua notoriedade começou quando foi acusado de ficar rezando pela manhã, na igreja, em vez de trabalhar. De fato, tinha o hábito de parar o trabalho uma vez ao dia para rezar, de joelhos, o terço. Mas isso não atrapalhava a produção, porque depois trabalhava com vontade e vigor, recuperando o tempo das preces. Sua bondade era tanta que o patrão nada lhe fez.


Não era só na oração que Isidro se destacava. Era tão solidário que dividia com os mais pobres tudo o que ganhava com seu trabalho, ficando apenas com o mínimo necessário para alimentar os seus. Quando seu filho morreu, ainda criança, Isidoro e Maria não se revoltaram, ao contrário, passaram a se dedicar ainda mais aos necessitados.


Isidro Lavrador morreu pobre e desconhecido, no dia 15 de maio de 1130, em Madri, sendo enterrado sem nenhuma distinção. A partir de então começou a devoção popular. Muitos milagres, atribuídos à sua intercessão, são narrados pela tradição do povo espanhol. Quarenta anos depois, seu corpo foi trasladado para uma igreja.


Humilde e incansável foi esse homem do campo, e somente depois de sua morte, e com a devoção de todo o povo de sua cidade, as autoridades religiosas começaram a reconhecer o seu valor inestimável: a devoção a Deus e o cumprimento de seus mandamentos, numa vida reta e justa, no seguimento de Jesus.


Foi o rei da Espanha, Filipe II, que formalizou o pedido de canonização do santo lavrador, ao qual ele próprio atribuía a intercessão para a cura de uma grave enfermidade. Em 1622, o papa Gregório XV canonizou santo Isidro Lavrador, no mesmo dia em que santificou Inácio de Loyola, Francisco Xavier, Teresa d’Ávila e Filipe Néri.


Hoje, ele é comemorado como protetor dos trabalhadores do campo, dos desempregados e dos índios. Enfim, de todos aqueles que acabam sendo marginalizados pela sociedade em nome do progresso. Santo Isidro Lavrador é o padroeiro de Madri.


A Igreja também celebra hoje a memória dos santos: Cássio, Dionísia e Torquato.



MARTIROLÓGIO ROMANO

15/05


1. Em Lâmpsaco, no Helesponto, na atual Turquia, a paixão dos santos Pedro, André, Paulo e Dionísia, mártires.

(† s. III)


2. Em Arvena, na Aquitânia, hoje Clermont-Ferrand, na França, os santos Cássio e Vitorino, mártires, que, segundo a tradição, padeceram o martírio no tempo de Crono, chefe dos Alamanos.

(† s. III)


3. Na Sardenha, região da Itália, São Simplício, presbítero.

(† s. III/IV)


4*. Em Larissa, na Tessália, região da Grécia, Santo Aquileu o Taumaturgo, bispo, que tomou parte no primeiro Concílio Ecuménico de Niceia e, animado de grande zelo apostólico e todas as virtudes, evangelizou vários povos pagãos.

(† s. IV)


5*. Em Autun, na Gália Lionense, na hodierna França, São Retício, bispo, que Santo Agostinho recorda como personalidade de grande autoridade na Igreja e São Jerónimo admira como bom exegeta da Sagrada Escritura.

(† s. IV)


6. Na Etiópia, São Caleb ou Elésban, rei, que, para desagravar os mártires de Nagran, empreendeu o combate contra os inimigos de Cristo e, segundo a tradição, depois de ter enviado, no tempo do imperador Justino, o seu diadema régio para Jerusalém, abraçou a vida monástica, a que se comprometera por voto, até partir deste mundo ao encontro do Senhor.

(† c. 535)


7. Em Septêmpeda, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, São Severino, bispo, cujo nome foi dado à cidade.

(† data inc.)


8*. Em Bingen, junto ao rio Reno e perto de Mogúncia, atualmente na Alemanha, São Roberto, duque, que, ainda jovem fez uma peregrinação ao túmulo dos Apóstolos e, de regresso aos seus domínios, construiu muitas igrejas; aos vinte e um anos de idade, adormeceu no Senhor.

(† s. VIII)


9. Em Córdova, na Andaluzia, região da Espanha, a comemoração de São Vitesindo, mártir, que por medo dos Mouros abandonou a fé cristã; mas depois, recusando publicamente praticar esse culto maometano, foi morto em ódio à fé cristã.

(† 855)


10. Em Madrid, na região de Castela, na Espanha, Santo Isidro, lavrador, que, com sua esposa, a Beata Maria da Cabeça, trabalhando arduamente e procurando pacientemente mais os frutos do Céu que os da terra, se tornou um exemplo de grande piedade para o agricultor cristão.

(† c. 1130)


11. Em Aix-en-Provence, na França, o Beato André Abellon, presbítero da Ordem dos Pregadores, que renovou nos conventos a observância regular, administrando-os com benevolência e sobriedade.

(† 1450)

47 visualizações

Comments


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page