top of page
  • Sérgio Fadul / Canção Nova

Santa Adelaide


Santa Adelaide nasceu em Borgonha, no ano 931. Seu pai era Rodolfo II, rei da Borgonha. Aos 16 anos, foi dada em casamento ao rei da Itália, Lotário II. Esse fez um infeliz, mas faleceu três anos após o casamento (em 950); após ser envenenado pelo duque Berengário de Ivreia, que queria tomar para si o reino de Lotário.


Duque Berengário quis obrigar Adelaide a se casar com seu filho, mas ela recusou firmemente. Sendo assim, foi encarcerada, um mando de Berengário, em um castelo, onde mais tarde conseguiu fugir. Viajou para a Alemanha para pedir o auxílio de Otão I, rei da Alemanha. No Natal de 951, Otão casou-se com Adelaide, sendo em seguida o proclamado rei da Itália. Otão reapareceu na Itália dez anos depois, chamado pelo Papa João XII, após os Estados terem sido invadidos. Otão expulsou os invasores e, como recompensa pelo bem feito, complete a coroa imperial que tinha usado Carlos Magno, desse modo nasceu o Sacro Império romano-germânico, que durou mais de oito séculos.


Adelaide mais uma vez ficou viúva, após a morte de Otão I. Exerceu o poder em nome do filho Otão II, que, neste período, ainda era muito novo para assumir o trono (973-978). Adelaide governou novamente o Império entre os anos 991 a 996, até o neto Otão III assumir o trono. Consagrou os três últimos anos de sua vida promovendo o bem da Igreja e auxiliando os pobres e necessitados.


Refugiada na Borgonha, após Otão revoltar-se com Adelaide, conheceu Santo Odilo, com quem espalhou grandes benefícios pelos mosteiros franceses das regiões vizinhas. Uma das principais construções por elas foi o Mosteiro de São Martinho de Tours, que acabou sendo destruído após um incêndio.


Sentindo o fim de sua vida, Adelaide pediu que a transportassem para o mosteiro de Selz, onde faleceu no dia 16 de dezembro de 999.


Entre as “Grandes mulheres na História do mundo”, no primeiro milênio, está Santa Adelaide. Exemplo de mãe, princesa, imperatriz, rainha e cristã.


Santa Adelaide, rogai por nós!



MARTIROLÓGIO ROMANO

16/12


1. Comemoração de Santo Ageu, profeta, que, no tempo de Zorobabel, governador de Judá, exortou o povo para reedificar a casa do Senhor, à qual afluiria o tesouro de todas as nações.


2. Comemoração de muitas santas virgens, que, na África Setentrional, durante a perseguição vandálica do rei Hunerico, torturadas com pesos e lâminas incandecentes, consumaram felizmente o seu combate pela fé.

(† 480)


3. Na Hibérnia, na atual Irlanda, São Beano, eremita.

(† data inc.)


4*. Em Cysoing, no território de Artois, da Gália, atualmente na França, Santo Everardo, que, sendo conde de Friúli, fundou neste lugar um mosteiro de Cónegos Regrantes, no qual foi sepultado piedosamente alguns anos depois da sua morte.

(† 867)


5. Em Vienne, na Borgonha, também na atual França, Santo Adão, bispo, que, sendo monge, foi eleito bispo e honrou egregiamente a memória dos santos redigindo um Martirológio.

(† 875)


6. Em Selz, perto de Estrasburgo, na Alsácia, atualmente na Alemanha, Santa Adelaide, imperatriz, que manifestou sempre alegria irradiante para com os familiares, honestíssima gravidade para com os estranhos, infatigável bondade para com os pobres, imensa generosidade para honrar as igrejas de Deus.

(† 999)


7*. Na Lucânia, na actual Basilicata, região da Itália, São Macário de Collesano, monge, exímio pela sua humildade e abstinência, que dirigiu com admirável prudência vários mosteiros do monte Mercúrio e de Latiniano.

(† 1005)


8*. Em Génova, na Ligúria, também região da Itália, a comemoração do Beato Sebastião Mági (Salvático Mági), presbítero da Ordem dos Pregadores, que pregou o Evangelho ao povo da região e zelou pela observância regular nos conventos.

(† 1496)


9*. Em Turim, no Piemonte, também na Itália, a Beata Maria dos Anjos (Mariana Fontanella), virgem da Ordem das Carmelitas, insigne pela suas penitências voluntárias e pela virtude da obediência.

(† 1717)


10*. Em Rivalba, também no Piemonte, o Beato Clemente Marchísio, presbítero, que era pároco deste lugar, quando fundou o Instituto das Filhas de São José.

(† 1903)


11*. Em Nowe Miasto, cidade da Polónia, o Beato Honorato de Biala Podlaska (Florêncio Kazminsky), presbítero da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos, que realizou um trabalho admirável na reconciliação dos penitentes, na pregação da palavra de Deus e na assistência aos presos.

(† 1916)


12*. Perto de Mukdahan, cidade da Tailândia, o Beato Filipe Siphong Onphitak, mártir, que, sendo pai de família, depois de ter sido expulso o sacerdote da povoação de Song-Khon, foi eleito director da comunidade cristã e, ao iniciar-se a perseguição contra os cristãos, foi levado fraudulentamente até junto do rio Tum Nok e fuzilado.

(† 1940)

77 visualizações

Comentarios


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page