top of page
  • Sérgio Fadul / iCatolica

São Geraldo da Hungria


O santo de hoje nasceu em Veneza, em 980. Estudou em escola beneditina e teve uma ótima formação, que inclui o zelo pela salvação das almas. Abraçou a vida religiosa na Ordem Beneditina e em pouco tempo São Geraldo chegou ao serviço de abade do mosteiro.


Voltando de uma viagem à Terra Santa, passou pela Hungria e a pedido do rei assumiu a missão de evangelizar com seu grupo aquela nação. Combateu as idolatrias e o sagrado Bispo não deixava de recorrer e recomendar a Onipotência Suplicante da Virgem Maria.


Dedicou-se intensamente à renovação litúrgica, pois queria que o culto divino fosse alegre e festivo. Domava o próprio corpo com árduas penitências. Foi visto várias vezes sair à noite com um pesado machado. Ia para a floresta cortar lenha, a fim de mortificar o corpo e amortecer as paixões.


Recusou-se a coroar o rei Avon da Hungria porque havia derramado muito sangue inocente. Quando o soberano entrou solenemente na igreja para a cerimônia da coroação, o bispo levantou-se e começou a denunciar publicamente seus desmandos, chegando a profetizar sua morte violenta. Foi o que aconteceu três anos mais tarde.


Com a morte do rei, entrou a luta pelo poder e ele lutou pela paz onde reinava a discórdia. Um dos pretendentes não só era contra o Bispo, mas cultivava ódio pelo Cristianismo.


Numa viagem em socorro do povo com a fé ameaçada, São Geraldo foi preso e apedrejado até a morte pelos inimigos da fé, isto em 24 de setembro de 1046. Deixou escrito lindos testemunhos do religioso Bispo e fiel cristão, o qual tornou-se com a graça de Deus.


Oração


"Agradeço à divina Providência, ó São Geraldo, não somente elevar-vos às alturas da Santidade, mas ainda o fazer vos experimentar a realidade da vida humana. Sabeis quão árduas pode ser, às vezes a luta pela vida. Conheceis perfeitamente todos os fatores sociais, bem como conheceis as dificuldades em se trabalhar para viver, principalmente onde falta a verdadeira caridade e justiça cristã. Como vós, não quero pedir a Deus que me faça rico, mas que possa ter o suficiente, de tal maneira que os cuidados temporais não venham perturbar, a mim mesmo e à minha família. São Geraldo, a tantos já atendestes, e livres de maiores cuidados, entregaram-se mais tranquilos aos serviços de Deus. Tocai o coração dos que devem repartir, para que efetivamente o façam. Triunfem os seus princípios da caridade para com o próximo, e o da justiça, a fim de que não seja cobiça a norma dos patrões e dos operários. Recomendo-vos também o trabalho que tenho para executar, para fazê-lo conscientemente, em espírito de solidariedade e partilha. Auxiliai-me a usar bem do tempo livre de que disponho, para maior Glória de Deus, salvação de minha vida e bem estar de minha família. São Geraldo, santo operário, abençoai meus trabalhos e fazei que produza bons frutos, para a vida toda. Amém."


São Geraldo da Hungria, rogai por nós!



MARTIROLÓGIO ROMANO

24/09


1. Em Milão, na Transpadana, hoje na Lombardia, região da Itália, Santo Anatólio, que é considerado o primeiro bispo desta cidade.

(† s. II)


2. Em Sedelaucum, hoje Seaulieu, no território de Autun, na França, os santos Andóquio, Tirso e Félix, mártires.

(† data inc.)


3. Em Arvena, na Aquitânia, hoje Clermont-Ferrand, também na França, São Rústico, bispo, que, sendo presbítero nesta cidade, assumiu, com grande alegria da cidade, a honra do episcopado.

(† s. V)


4. Em Lião, na Gália, hoje também na França, São Lopo, bispo, que antes tinha vivido como anacoreta.

(† d. 528)


5*. Em Marselha, na Provença, também na França, Santo Isarno, abade, homem austero para consigo, mas benevolente e pacífico para com os outros, que renovou a vida regular no mosteiro de São Vítor.

(† 1043)


6. Na Panónia, em território da atual Hungria, São Gerardo Sagredo, bispo de Csanad e mártir, que foi preceptor de Santo Emerico, príncipe adolescente, filho do rei Santo Estêvão, e morreu apedrejado junto ao rio Danúbio numa sedição de húngaros pagãos.

(† 1046)


7*. Em Gerona, na Catalunha, região da Espanha, o Beato Dalmácio Moner, presbítero da Ordem dos Pregadores, insigne pelo seu amor à solidão e ao silêncio.

(† 1341)


8*. Em York, na Inglaterra, os beatos mártires Guilherme Spenser, presbítero, e Roberto Hardesty, condenados à pena capital e enforcados no reinado de Isabel I, o primeiro por ser sacerdote, o segundo por lhe ter dado hospitalidade.

(† 1589)


9. Em Nagasáki, no Japão, Santo António González, presbítero da Ordem dos Pregadores, que, enviado para o Japão com outros cinco companheiros e encarcerado pouco tempo depois, foi submetido duas vezes ao suplício da água, até que, consumido pela febre, precedeu os seus companheiros na morte, no tempo do chefe supremo Tokugawa Yemitsu.

(† 1637)


10. Em San Severino, nas Marcas, região da Itália, São Pacífico, presbítero da Ordem dos Frades Menores, insigne pela suas penitências, amor à solidão e oração ante o Santíssimo Sacramento.

(† 1721)


11*. Em Maribor, na Eslovénia, o Beato António Martinho Slomsek, bispo, que se dedicou com todas as suas energias ao cuidado da vida cristã das famílias, à formação do clero e à defesa da unidade da Igreja.

(† 1862)


12*. Em Roma, a Beata Colomba Gabriel (Joana Matilde Gabriel), abadessa do mosteiro de L’viv, na Ucrânia, que, injustamente caluniada, se dirigiu para Roma, onde viveu pobre e alegre e fundou a Congregação das Irmãs Beneditinas da Caridade, além da obra social chamada Casa da Família, em favor das jovens operárias pobres ou afastadas da família.

(† 1926)


13*. Em Ablat de la Ribera, povoação da província de Valência, na Espanha, o Beato José Raimundo Pascoal Ferrer Botella, presbítero e mártir, que padeceu o martírio durante a perseguição contra a fé cristã.

(† 1936)


14*. Em Rotglà y Corbera, também na província de Valência, o Beato José Maria Ferrándiz Hernández, presbítero e mártir, que na mesma perseguição religiosa terminou vitoriosamente o combate da fé.

(† 1936)


15*. Em Olleria, na mesma província de Valência, a Beata Encarnação Gil Valls, virgem e mártir, que, levando a lâmpada acesa, foi ao encontro de Cristo Esposo.

(† 1936)


16*. Em Alcira, também na província de Valência, o Beato José Raimundo Ferragut Girbés, mártir, pai de família que morreu como vítima por Cristo na mesma perseguição contra a fé cristã.

(† 1936)


17♦. Em Barcelona, também na Espanha, o Beato Afonso do Sagrado Coração de Maria (Afonso Arimány Ferrer), presbítero da Ordem dos Carmelitas Descalços e mártir, que, durante a perseguição contra a Igreja, foi assassinado em ódio ao sacerdócio.

(† 1936)


18♦. Em Málaga, também na Espanha, os beatos Manuel Gómez Contioso, presbítero, e companheiros[1] mártires, que, durante a mesma perseguição, foram assassinados em ódio à fé cristã.

[1] São estes os seus nomes: Estêvão Garcia Garcia e Rafael Rodríguez Mesa, religiosos da Sociedade Salesiana.

(† 1936)


19♦. Em Cuenca, também na Espanha, os beatos Melchior do Espírito Santo (Melchior Rodríguez Villastrigo), presbítero da Ordem da Santíssima Trindade e companheiros[2] mártires, que consumou egregiamente o seu combate por Cristo.

[2] São estes os seus nomes: Luís de São Miguel dos Santos (Luís de Erdoíza y Zamalloa), Tiago de Jesus (Tiago Arriaga y Arríen), presbíteros, e João de Nossa Senhora do Castellar (João Francisco Joya y Corralero), religioso, todos da Ordem da Santíssima Trindade.

(† 1936)

Comments


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page