top of page
  • Sérgio Fadul - Franciscanos

São Caio


Papa Caio nasceu na Dalmácia, na cidade de Salona (atual Solin), de família cristã da nobreza romana, parente distante do Imperador Diocleciano. Caio foi eleito no dia 17 de dezembro de 283. Foi o 28º Papa e governou a Igreja durante treze anos, num período de trégua nas perseguições.


Antes de sua eleição, o Papa Caio transformou sua casa em igreja. Lá, ouviam os aflitos, os pecadores; auxiliavam os pobres e doentes; celebravam as missas, distribuíam a eucaristia e ministrados os sacramentos do batismo e do casamento.


Como papa, ele decretou que, antes que alguém pudesse assumir a posição de bispo, deveria ser hostiário, leitor, exorcista, acólito, subdiácono, diácono e padre. Ele também dividiu os bairros de Roma entre os diáconos. Durante seu pontificado, as medidas anticristãs aumentaram, apesar de novas igrejas serem construídas e cemitérios ampliados. Foi o primeiro Papa a conseguir reunir emissários imperiais e fiéis em meio a uma acalorada discussão sobre a legitimidade de se cobrar tributos sobre os cristãos que conseguiu angariar algum tipo de simpatia do poder de Roma. Conteve vários agitadores que queriam se vingar da morte de outros pontífices na figura de atos de vandalismo.


O grande contratempo enfrentado pelo Papa Caio se deu no âmbito interno do próprio clero, devido a crescente multiplicação de heresias, criando uma grande confusão entre os devotos cristãos.


Nós sabemos, pelos escritos da Igreja, que apesar do seu parentesco com o imperador, o Papa se recusou a ajudar Diocleciano, que pretendia receber a sobrinha dele como sua futura nora. A ira do soberano mandou matar todos os cristãos, começando pelo seu parente Caio.


Papa Caio morreu decapitado em 22 de abril de 296. A Igreja confirmou a sua santificação e o seu martírio. As suas relíquias foram depositadas primeiro no cemitério de São Calixto. Depois foram trasladadas para a igreja que foi erguida no local da casa onde ele viveu, em Roma.


São Caio, rogai por nós!



MARTIROLÓGIO ROMANO

22/04


1. Em Roma, São Soter, papa, de quem São Dionísio de Corinto celebra a egrégia caridade para com os irmãos, os peregrinos necessitados, os aflitos pela miséria e os condenados a trabalhos forçados.

(† 175)


2. Em Lião, na Gália, na atual França, Santo Epipódio, que, depois de quarenta e oito gloriosos mártires desta cidade, foi preso juntamente com o seu amigo Alexandre e consumou o martírio sendo decapitado.

(† 178)


3. Em Alexandria, no Egipto, a comemoração de São Leónidas, mártir, que, no tempo do imperador Séptímo Severo, foi morto ao fio da espada pela sua fé em Cristo, deixando ainda criança o seu filho Orígenes.

(† 204)


4. Em Roma, no cemitério de Calisto, junto à Via Ápia, o sepultamento de São Caio, papa, que, livrando-se da perseguição do imperador Diocleciano, morreu como confessor da fé.

(† 296)


5. Comemoração de São Mariab, quer dizer «o Senhor anuncia», cor epíscopo e mártir na Pérsia, que durante a perseguição do rei Sapor II, na Oitava da Páscoa sofreu o martírio por Cristo.

(† 342)


6. Em Constantinopla, hoje Istambul, na Turquia, o dia natal de Santo Agapito I, papa, que se empenhou com firmeza para que o bispo de Roma fosse livremente escolhido pelo clero da Urbe e em toda a parte fosse conservada a dignidade da Igreja; enviado depois por Teódoto, rei dos Godos, a Constantinopla para se encontrar com o imperador Justiniano, ali fortaleceu a verdadeira fé, ordenou Menas bispo daquela cidade, onde descansou em paz.

(† 536)


7. Em Sens, na Nêustria, hoje na França, São Leão, bispo.

(† s. VI)


8. Em Sykeon, localidade da Galácia, na atual Turquia, São Teodoro, bispo e hegúmeno, que, movido pelo amor à solidão desde a infância, optou por um género de vida austero e, constrangido a aceitar a sua ordenação como bispo de Anastasiópolis, pediu com insistência ao Patriarca de Constantinopla para que o deixasse voltar ao seu ermo.

(† 613)


9*. No território de Sées, na Nêustria, atualmente na França, Santa Oportuna, abadessa, célebre pela sua rigorosa abstinência e austeridade.

(† c. 770)


10*. Em Basto, território da Lusitânia, hoje em Portugal, Santa Senhorinha, abadessa, de quem se conta que Deus, por sua intercessão, alimentou imediatamente as monjas quando lhes faltou alimento.

(† c. 980)


11*. Em Fabriano, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato Francisco Venimbéni, presbítero da Ordem dos Menores, que foi exímio pregador da palavra de Deus. († 1322)

(† 1322)





48 visualizações

Comentários


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page