• nsdagloria

Bem aventuradas Teresa, Mafalda e Sancha


Hoje a Igreja celebra a memória litúrgica de três irmãs beatas: Teresa, Mafalda e Sancha, princesas portuguesas que foram vocacionadas à vida religiosa.


As três beatas recordadas no dia de hoje eram filhas de Dom Sancho I, rei de Portugal, e da rainha Dulce. Nascidas e educadas na corte, foram criadas na piedade e austeridade. As três manifestaram vocação à vida religiosa. Duas delas, porém, viriam a se casar antes que os caminhos da vida as levassem a concretizar esse chamado.


Teresa, a mais velha, nascida em 1177, foi prometida em casamento ao príncipe Afonso IX, de Lion. Teve com ele três filhos. Por uma série de razões, o casamento foi considerado nulo pelo Papa. Ela então regressou às terras portuguesas e realizou sua vontade de entrar para a vida religiosa, ingressando no mosteiro de Lorvão.


No ano 1200, ela ajuda a restaurar um mosteiro beneditino local, onde recebe o hábito religioso, e agrega junto a si outras companheiras. A comunidade reformada por ela chegaria a ter mais de trezentas freiras.


Descontente com o fato de o casamento ter sido desfeito e alegando que a união lhe havia concedido certos direitos, Afonso entrou em guerra contra Portugal e a família de Teresa. Ela, no convento, devotava-se inteiramente à intercessão.


Afonso voltaria a casar-se novamente, dessa vez com Berengária, futura rainha do reino de Castela, o que supostamente uniria o trono dos dois países. Porém esse casamento acabou também por ser anulado, visto que ele possuía consanguinidade com a esposa. Os reinos governados pelos dois viriam a ter relações hostis, enquanto ele se reaproximava de Teresa e deixava para as filhas que teve com ela seu trono.


Com a morte de Afonso, em 1230, inicia-se uma disputa entre os filhos de seus dois casamentos. Ele desejava que as filhas do primeiro casamento governassem seu reino, direito reivindicado pelo primogênito da segunda união. Isso levou Teresa a intervir nas disputas políticas. Ela permitiu que Fernando III, filho de Afonso com a segunda esposa, assumisse o trono, evitando assim contendas dentro da família e entre os reinos.


Ela voltaria a apaziguar outra disputa dinástica no fim de sua vida, quando seus sobrinhos começaram a se desentender. Conseguiu pôr fim à rivalidade entre os dois.

Despojada dos bens materiais e dedicando a vida à busca da vontade de Deus, beata Teresa sempre manteve um contínuo cuidado especial em relação ao povo mais humilde e desprotegido. Faleceu no dia 18 de junho de 1250, aos 74 anos de idade.


Beata Sancha, a irmã do meio, nascida em Coimbra, no ano 1180, tinha uma profunda fé e zelo pelo serviço de Deus. Nunca se casou, seguindo sua vocação religiosa.


Recebeu do pai como herança a administração da vila de Alenquer. Seu primeiro cuidado com a região foi fundar um convento de dominicanos e outro de franciscanos nas proximidades. Isso se deveu a admiração que tinha pelas ordens mendicantes, as quais desejava proteger.


Edificou também a Igreja de Redondo e o convento de Celas, em Coimbra, onde ingressou na vida religiosa juntando-se à ordem de Cister. Convidou para participarem da nova comunidade algumas religiosas que viviam em pequenas congregações sob a proteção dela.