Bispos condenam assinatura de lei de aborto na Sexta-feira Santa

Imagem referencial. Crédito: Unsplash.

Temos que intensificar as nossas orações, pois quando nos preocupamos só com um aspecto da nossa vida, terminamos nos distraindo e permitindo que ações más ajam em outros aspectos na nossa vida. Nâo é à toa que São Pedro nos exorta a sermos atentos e vigilantes, pois o mal é como um predador, um leão, que busca de forma esfomeada a quem devorar. Ele procura uma pequena brecha e ali vai trabalhar até conseguir o seu feito, a nossa destruição.O ato da assinatura em Virginia, EUA, aceitando o aborto, usando um nome "bonitinho", é muito lamentável, principalmente porque foi feito em plena sexta-feira santa. E o leão, que não mata todas as presas, mas escolhe uma de cada vez, causa um impacto muito grande em sua ação, de forma a criar o terror entre as demais, que perdem a noção de como realmente se defender, pois estão tomadas pelo medo e paralisadas pelo choque existencial do próprio leão.

Teremos também, aqui no Brasil, uma decisão (como, infelizmente, todo ano temos) sobre o aborto no STF, no que tange as que estão infectadas pela Zica, visto a possibilidade dos efeitos da microcefalia. O mal tenta de várias maneiras encontrar uma justificativa para que ele aconteça. Mas esta pequena possibilidade se torna depois um relaxamento, uma falsa verdade, pois a lei é NÃO MATARÁS e assim, uma autorização, qualquer que seja, é a vitória do mal. A consciência do cristão deve estar voltada sempre para Cristo, na Sua Verdade, Seu Caminho e Sua Vida. Tudo que sai disto ou é vaidade, orgulho, ou prepotência....


Bispos condenam assinatura de lei de aborto na Sexta-feira Santa


VIRGINIA, 14 Abr. 20 / 11:30 am (ACI).- Os bispos católicos da Virgínia (Estados Unidos) lamentaram a decisão do governador do estado, Ralph Northam, de assinar a legislação sobre aborto aprovada no início deste ano, e assinalaram que é ofensivo para os cristãos pró-vida que tenha feito isso na Sexta-feira Santa."Ontem, o governador Northam anunciou que assinou a chamada ‘Lei de proteção da Saúde Reprodutiva’ (SB 733 e HB 980). Estamos profundamente tristes e decepcionados pela aprovação desta legislação. Que tenha feito isso na Sexta-feira Santa, um dos dias mais solenes para os cristãos, é uma afronta particular a todos os que professam o Evangelho da vida”, expressaram Dom Michael Burbidge e Dom Barry Knestout, em um comunicado de 11 de abril.


A Lei de Proteção da Saúde Reprodutiva foi aprovada pela Câmara dos Representantes do Estado e depois pelo Senado Estadual da Virgínia em 29 de janeiro, há mais de 11 semanas.Esta permite que profissionais médicos, assim como assistentes médicos e profissionais de enfermagem, realizem abortos e revoga os requisitos de que as mulheres recebam informações específicas sobre o procedimento e que realizem uma ultrassonografia antes de se submeterem ao aborto.


Além disso, a nova lei, que entra em vigor a partir de 1º de julho, isenta as clínicas de aborto dos padrões regulatórios de segurança e limpeza do hospital.“Nos últimos oito anos, os abortos diminuíram 42% na Virgínia. Tragicamente, mas sem dúvida, essas mudanças em nossa lei estadual reverterão este progresso que salva vidas e aumentarão o número de abortos", assinalaram os prelados.


“Em fevereiro, unimo-nos a milhares de pessoas de diferentes religiões para proclamar a vida em nosso capitólio estadual na Segunda Marcha Anual pela Vida. Infelizmente, o governador e a maioria dos legisladores da Virgínia adotaram uma mensagem muito diferente", acrescentaram.


O governador Northam assinalou em um comunicado que "a Lei de Proteção da Saúde Reprodutiva fará com que as mulheres e as famílias estejam mais seguras" e ressaltou que se orgulha de assinar a lei."Nunca mais os legisladores em Richmond, a maioria dos quais são homens, dirão às mulheres o que devem ou não fazer com seus corpos", acrescentou o governador.


O governador não indicou por que escolheu a Sexta-feira Santa para assinar o projeto.Os bispos asseguraram que os esforços pró-vida no estado "continuarão salvando vidas, porque o amor sacrificante e vivificante de Cristo é abundante, frutífero e transbordante".


"Com o início do Tempo de Páscoa, o Senhor da vida nos chama para abraçar uma nova vida n’Ele. Através desta nova vida, vamos nos unir com renovado zelo na oração, defesa e testemunho da vida", concluíram.


Publicado originalmente em ACI Prensa. Traduzido e adaptado por Nathália Queiroz.




Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square