top of page
  • Foto do escritorSérgio Fadul / Franciscanos

Santo Ângelo (Muxaro) de Jerusalém

Atualizado: 8 de mai. de 2023


Santo Ângelo nasceu em Jerusalém, em 1185. Seus pais eram judeus convertidos.

Aos 18 anos, entrou na Ordem do Carmo, num mosteiro da Palestina, onde foi ordenado sacerdote. Recebeu muitas graças do Senhor, sobretudo o dom da profecia e dos milagres.

Foi enviado à Roma para defender os interesses de sua Ordem. Segundo a tradição, Ângelo e os primeiros carmelitas foram para Roma a fim de obterem do Papa Honório Terceiro a aprovação da Regra do Carmelo. Em Roma, conheceu Francisco de Assis, de quem previu morte pelo martírio. Dali partiu para a Sicília, a fim de converter os hereges cátaros. Os cátaros acreditavam que o homem na sua origem havia sido um ser espiritual e para adquirir consciência e liberdade, precisaria de um corpo material, sendo necessário várias reencarnações para se libertar. Eram dualistas e acreditavam na existência de dois deuses, um do bem (Deus) e outro do mal (Satã), que teria criado o mundo material e mal. Estas ideias contrariavam a fé católica e foram consideradas heresias. Na Sicília, lutando contra a ideia dos cátaros, Santo Ângelo converteu a amante de um rico senhor que levava vida de pecado. Por vingança, este mandou assassiná-lo. Santo Ângelo foi morto em 1220, enquanto pregava na Igreja de São Tiago de Licata. Sua veneração se manteve até os nossos dias, sendo invocado pelo povo e devotos nas situações de suas dificuldades. Os primeiros padres carmelitas da América difundiram a sua devoção, construindo igrejas, nomeando as aldeias que se formavam e expandiram o seu culto, que também chegou ao Brasil.


Santo Ângelo, rogai por nós!



MARTIROLÓGIO ROMANO

05/05


1. Em Autissiodoro, na Gália Lionense, hoje Auxerre, na França, São Joviniano, leitor e mártir.

(† s. III)


2. Em Alexandria, no Egito, Santo Eutímio, diácono e mártir.

(† c. 305)


3. Comemoração de São Máximo, bispo de Jerusalém, que, por ordem do imperador Maximino Daïa, depois de lhe tirarem um olho e queimar um pé com ferro em brasa, foi condenado ao trabalho forçado nas minas; mas, tendo sido liberto, regressou à sede de Jerusalém, onde, prestigiado pela sua gloriosa confissão da fé, finalmente descansou em paz.

(† c. 350)


4*. Em Treveris, na Gália Bélgica, atualmente na Alemanha, São Bretão, bispo, que defendeu a sua grei dos erros de Prisciliano, mas em vão tentou, juntamente com Santo Ambrósio de Milão e São Martinho de Tours, opor-se à ferocidade daqueles que pediram a morte de Prisciliano e dos seus sequazes.

(† 386)


5. Em Arles, na Provença, na actual França, Santo Hilário, bispo, que, promovido com relutância da solidão de Lérins ao episcopado, trabalhando por suas mãos, usando a mesma túnica no inverno e no verão e caminhando a pé, a todos manifestou o seu amor da pobreza; assíduo à oração, às vigílias e aos jejuns, e incansavelmente entregue ao ministério da palavra, revelou aos pecadores a misericórdia de Deus, acolheu os órfãos e destinou todo o dinheiro recolhido nas basílicas para a redenção dos cativos.

(† 449)


6. Em Vienne, na Gália Lionense, também na atual França, São Nicécio, bispo.

(† s. V)


7. Em Milão, na Ligúria, hoje na Lombardia, região da Itália, São Gerôncio, bispo.

(† c. 472)


8*. Em Marchiennes, na Gália Bélgica, atualmente na França, São Mauronto, abade e diácono, que foi discípulo de Santo Amando.

(† 702)


9. Em Limoges, na Aquitânia, também na hodierna França, São Sacerdote, que, depois de ser monge e abade, foi eleito bispo, mas finalmente quis voltar à vida monástica.

(† s. VIII)


10. Em Hildesheim, na Saxónia, região da Alemanha, São Gotardo ou Godeardo, bispo, que, sendo abade do mosteiro de Niederaltaich, visitou e instaurou outros mosteiros; depois sucedeu a São Bernardo nesta sede episcopal, onde promoveu o bem na sua Igreja, restabeleceu a disciplina regular do clero e abriu escolas.

(† 1038)


11*. Na Calábria, região da Itália, São Leão, eremita, que se entregou à contemplação e ao auxílio dos pobres e morreu no mosteiro de Áfrico, perto de Réggio, por ele fundado.

(† c. s. XII)


14*. Em Recanáti, no Piceno, hoje nas Marcas, região da Itália, o Beato Benvindo Maréni, religioso da Ordem dos Menores.

(† 1289)


12*. Em Vençay, junto de Tours, na França, Santo Avertino, diácono, que acompanhou São Tomás Becket no exílio e, depois da morte deste santo, regressou para Vençay, onde seguiu vida eremítica.

(† 1189)


13*. Em Licata, na Sicília, região da Itália, Santo Ângelo, presbítero da Ordem dos Carmelitas e mártir.

(† 1225)


15*. Em Nápoles, na Campânia, também região da Itália, o Beato Núncio Sulprício, que, tendo ficado órfão, enfermo de gangrena numa perna e fisicamente muito debilitado, tudo suportou com alegre e paciente serenidade e a todos assistiu com grande solicitude, confortando assiduamente os companheiros de sofrimento e, apesar da sua extrema pobreza, socorrendo de todos os modos possíveis os indigentes.

(† 1836)


16*. Em Somasca, perto de Bérgamo, na Itália, a Beata Catarina Cittadíni, virgem, que, tendo ficado órfã desde a infância, foi educadora humilde e sábia; dedicou-se abnegadamente e sem descanso à formação das jovens pobres e ao ensino da doutrina cristã, fundando com esta finalidade o Instituto das Irmãs Ursulinas de Somasca.

(† 1857)


17*. Em Dresda, na Alemanha, o Beato Gregório Frackowiak, religioso da Sociedade do Verbo Divino e mártir, que, preso durante a guerra, com um golpe da guilhotina morreu por Cristo.

(† 1943)




44 visualizações

Comentários


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page