Santo Isidoro


Origens

Isidoro nasceu no ano 560, na capital da Andaluzia, Sevilha. Foi o caçula entre quatro irmãos. Nasceu numa família hispano-romana bastante fiel e praticante da fé católica.


Seu pai se chamava Severiano e exerceu o cargo de prefeito em Cartagena, também na Espanha. O mandato de Severiano foi marcado pela disciplona e pela doutrina católica, que ele procurava exercer na política. A mãe de Santo Isidoro se chamava Teodora. Foi uma santa mulher que educou os filhos na sabedoria e na fé católica. O fruto dessa educação não poderia ser mais expressivo: seus quatro filhos foram elevados aos altares: Isidoro, Leandro, Fulgêncio e Florentina.


Dificuldade de aprendizado


Severiano faleceu quando Isidoro era ainda criança. Por isso, o pequeno Isidoro começou a estudar a religião por influência do irmão mais velho, Leandro, que passou a representar para ele a figura do pai. Quando iniciou na escola formal, Isidoro apresentou grande dificuldade no aprendizado. Por isso, ele mesmo tomou a iniciativa de procurar ajuda com seus irmãos e alguns professores. Procurou também a oração e confiou na Providência Divina. A iniciativa deu certo e ele “aprendeu a aprender”, superando suas dificuldades e revelando grande capacidade intelectual.


Sacerdote


O jovem Isidoro formou-se em latim, grego e hebraico, na cidade de Sevilha. Lá, ele sentiu o chamado para a vida sacerdotal. Por isso, com a aprovação do bispo e da comunidade cristã, ordenou-se sacerdote. Sua formação ajudou para que ele pudesse trabalhar na evangelização dos visigodos arianos, iniciando pela evangelização do rei de então. Mais tarde, o Padre Isidoro trabalhou na evangelização e conversão de muitos judeus espanhóis. Além disso, teve uma vida pastoral intensa e frutuosa.


Arcebispo de Sevilha


Com o falecimento de seu irmão Leandro, que era o bispo de Sevilha, padre Isidoro foi o nome natural indicado para sucedê-lo. Ele aceitou e governou a arquidiocese de Sevilha por quase quarenta anos. No começo de seu bispado, Santo Isidoro organizou pequenos núcleos de estudo e ensino dentro das casas de religiosos. Esta “instituição” é considerada hoje como que o “embrião” dos seminários como conhecemos hoje.


Influência cultural


A influência cultural que Santo Isidoro exerceu na Espanha e Europa foi muito expressiva. Aquele menino que tinha dificuldade de aprender tornou-se o dono de uma das maiores e melhores bibliotecas da Espanha e Europa. Sua influência neste sentido foi tal, que muitos começaram a se dedicar a leituras boas e ao estudo.


Caridade e oração


Em meio a toda a agitação de dirigir uma arquidiocese como a de Sevilha, Santo Isidoro nunca deixava de lado a oração, que alimentava seu espírito e a caridade para com os necessitados. Atendia a todos os que o procuravam e saia em busca daqueles que tinham se perdido do redil das ovelhas. Ele se dedicava tanto aos pobres que sua casa estava sempre cheia de mendigos e necessitados de todos os tipos.


Concílio de Toledo


O Concílio de Toledo tratou de diversos assuntos disciplinares, decretou uma liturgia uniforme a ser adotada por toda a Visigótia e tomou medidas duras contra os judeus convertidos que voltavam à sua fé original.


Iniciado em 5 de dezembro de 633, contou com a presença de todos os bispos dos reinos ibéricos. Santo Isidoro, embora já bastante idoso, presidiu os trabalhos e propôs a maior parte do que foi aprovado.


O concílio provavelmente expressou, com uma acuracidade tolerável, o que pensava e a influência que detinha Isidoro. A posição e a deferência prestada ao rei também é notável: a Igreja, apesar de livre e independente, está ligada por uma aliança solene ao legítimo rei. Em contraste, nada se falou sobre a ligação ao papa em Roma.


Este foi o quarto concílio realizado na cidade de Toledo e foi por influência de Isidoro que um decreto foi promulgado comandando e exigindo que todos os bispos criassem seminários em suas sés metropolitanas seguindo o modelo da escola que o próprio Isidoro criara em Sevilha. Ali, o idoso bispo fez uso de todos os seus recursos educacionais para se contrapor à crescente influência dos costumes bárbaros dos godos. Nestas escolas se prescrevia o ensino do grego e do hebraico, assim como também das artes liberais. O estudo do direito e da medicina era também encorajado. E Isidoro conseguiu, pela força do concílio, que todos os bispos do reino fossem obrigados a disseminar este modelo.


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square