• Sérgio Fadul / Cruz Terra Santa

São Tomé



Origens


Tomé foi um dos doze Apóstolos escolhidos por Jesus (Marcos 3, 18; Mateus 10, 3) Era judeu, da Galiléia e provavelmente pescador. Seu nome aparece onze vezes no Novo Testamento. Tomé ou Tomás, significa “gêmeo”. No grego, a palavra equivalente é Didymus. Isto nos faz supor que ele tinha um irmão gêmeo. Ele acompanhou Jesus como discípulo durante os três anos de vida pública do Mestre. Após a morte de Jesus, Tomé estava entre os Apóstolos que receberam o Espírito Santo no dia de Pentecostes. Depois disso, sabe-se que ele foi pregar o Evangelho na Índia.


A Dúvida de São Tomé


A memória de São Tomé está fortemente relacionada ao fato de ele ter duvidado de seus companheiros, quando estes lhe afirmaram terem visto Jesus ressuscitado (João 20, 24-29). Ele quis “ver para crer”. Neste sentido, ele representa a cada um de nós quando passamos por momentos de dúvida. Por outro lado, sua dúvida nos ajuda a entender que Deus não rejeita a necessidade de certeza, mas elogia aqueles que “creem sem terem visto”. Porém, que possamos nos inspirar também no seu testemunho de fé quando a verdade se apresenta.


Tomé no Novo Testamento


O nome de Tomé aparece onze vezes no Novo Testamento:


Mt 10,3 - Filipe e Bartolomeu. Tomé e Mateus, o publicano. Tiago, filho de Alfeu, e Tadeu.


Mc 3,18 - Ele escolheu também André, Filipe, Bartolomeu, Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu; Tadeu, Simão, o Zelador;


Lc 6,15 - Mateus, Tomé, Tiago, filho de Alfeu; Simão, chamado Zelador;


Jo 11,16 - A isso Tomé, chamado Dídimo, disse aos seus condiscípulos: Vamos também nós, para morrermos com ele.


Jo 14,5 - Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?


Jo 20,24 - Tomé, um dos Doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus.


Jo 20,26 - Oito dias depois, estavam os seus discípulos outra vez no mesmo lugar e Tomé com eles. Estando trancadas as portas, veio Jesus, pôs-se no meio deles e disse: A paz esteja convosco!


Jo 20,27 - Depois disse a Tomé: Introduz aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos. Põe a tua mão no meu lado. Não sejas incrédulo, mas homem de fé.


Jo 20,28 - Respondeu-lhe Tomé: Meu Senhor e meu Deus!


Jo 21,2 - Estavam juntos Simão Pedro, Tomé (chamado Dídimo), Natanael (que era de Caná da Galiléia), os filhos de Zebedeu e outros dois dos seus discípulos.


Atos 1,13 - Tendo entrado no cenáculo, subiram ao quarto de cima, onde costumavam permanecer. Eram eles: Pedro e João, Tiago, André, Filipe, Tomé, Bartolomeu, Mateus, Tiago, filho de Alfeu, Simão, o Zelador, e Judas, irmão de Tiago.


Três passagens


O Evangelho de São João apresenta três passagens importantes onde Tomé se torna protagonista, revelando um temperamento melancólico, pessimista e para quem tudo tem que ser muito esclarecido.


A primeira delas é quando emissários de Lázaro, amigo de Jesus, pede que o mestre vá curar Lázaro que está doente. Jesus estava sendo perseguido pelos líderes judeus. Então Tomé diz: “Vamos também nós, para morrermos com ele” (Jo 11,16).


A segunda intervenção importante de Tomé, mostra, mais uma vez, seu pessimismo, mas dá a Jesus a oportunidade de fazer uma de suas revelações mais importantes: “Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho? Ao que Jesus respondeu: Eu sou o Caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim.” (Jo 14,5-6)


E a terceira passagem, como vimos, foi quando Tomé duvidou da ressurreição de Jesus e quis “ver para crer” (Jo 20, 24-29). A incredulidade de São Tomé transformou-se numa das provas da ressurreição de Cristo, pois, foi atestada por um cético.


Apóstolo


Após a ressurreição de Cristo e a vinda do Espírito Santo em Pentecostes, Tomé, como todos os outros apóstolos, saiu para pregar o Evangelho onde Deus o levasse. Sabe-se que ele anunciou a Boa Nova entre os partas, os medos e os persas. A Tradição aponta também que foi ele quem levou o Evangelho pela primeira vez à Índia. Lá, foi perseguido por líderes religiosos


Missionário e mártir na Índia


Os católicos de Malabar, na Índia, cultuam São Tomé há dois mil anos. A Tradição local conservou a história de São Tomé como evangelizador daquele local. Conservam também a história de seu martírio através dos hindus, que o feriram mortalmente com lanças por causa do poder de sua pregação. Com efeito, a pregação de São Tomé converteu a muitos na região e nasceu ali uma fervorosa comunidade cristã que dura dois mil anos.


Comprovação


Documentos antiquíssimos atestavam a ida de São Tomé para a Índia e seu martírio através de lanças. Muito mais tarde, no Século XVI, quando os portugueses chegaram àquele país, descobriram a cripta onde está sepultado o corpo de São Tomé, bem como suas relíquias, um pouco de sangue coagulado e um pedaço de uma lança que o feriu de morte. São Francisco Xavier, também no Século XVI encontrou a herança cristã deixada por São Tomé na Índia.


Milagre da Tsunami


No ano de 2004 um fato mexeu com toda a região de Tamilnadu, em Chennai, no sul da Índia. Em dezembro deste ano, como foi noticiado, uma terrível tsunami devastou totalmente a região. Porém, a Igreja de São Tomé onde se conversam suas relíquias, ficou intacta. Uma tradição local conta que São Tomé fincou um poste em frente ao local onde fica a igreja, afirmando que as águas do mar jamais ultrapassariam aquela marca. O poste se conserva até hoje e fica em frente do local onde, mais tarde, construiu-se a igreja dedicada a ele. Por causa disso, alguns sacerdotes hindus da região decidiram não mais perseguir os cristãos do local.


Em 26 de dezembro de 2004, mais de 2.000 peregrinos estavam participando de uma missa na basílica principal. Juntamente com outras áreas costeiras de Tamil Nadu, a pequena cidade costeira de Velankanni não foi poupada, devastando toda a cidade. O único edifício que escapou da destruição foi a basílica, poupando todas aquelas vidas. Isto é particularmente notável, considerando que os edifícios na mesma elevação, localizados ainda mais para o interior, foram destruídos, enquanto o interior da basílica permaneceu completamente seco. Muitos consideram isso um milagre, realizado pela mão amorosa e protetora de Deus.

Um incidente semelhante ocorreu em Chennai, perto da Marina Beach. A Basílica de São Tomás, localizada junto ao mar, foi poupada do tsunami, com as águas devastadoras se separando antes de chegar ao lado de trás da igreja. Enquanto a igreja estava intocada, as águas se espalharam pela estrada mais para o interior.

https://melissaenderle.blogspot.com/2011/09/tsunami-miracle-at-velankanni.html



As ondas do tsunami diminuíram, mas um milagre está sendo falado em Chennai. É a história de como o posto milagroso de St Thomas manteve as ondas invasoras longe, poupando a recém-renovada Catedral de Santhome. A catedral, a segunda basílica do mundo construída sobre o túmulo de um apóstolo, tem abrigado centenas de vítimas do tsunami desde que as ondas devastaram muitos prédios do outro lado da costa. Mas apesar das ondas do tsunami que assolaram devastar a costa de Chennai, o padre Lawrence Raj, o pároco da Basílica da Catedral de Santhome, diz que "o mar não tocou em nossa igreja". O motivo? "Acreditamos que o posto milagroso de São Tomé impediu que as águas do mar entrassem na igreja", diz o padre Raj. A igreja que fica no local onde Santo Tomás, um dos 12 apóstolos de Jesus Cristo, foi enterrado após sua morte no ano de 72 está localizado a poucos metros do mar. Enquanto todos os edifícios de ambos os lados da igreja foram atingidos pelas ondas do tsunami, a Catedral de Santhome permaneceu inalterada. A população local agora diz que é o posto miraculoso de São Tomás que manteve o mar afastado em 26 de dezembro. Segundo o padre Raj, a lenda é que quando São Tomás plantou o posto no topo da escadaria que leva à Catedral, ele disse: o mar não passaria naquele ponto. O padre viu do terraço da igreja o mar irado em ação, ao atravessar a estrada e inundar as cabanas em frente ao poste de São Tomás, que é um tronco de madeira inofensivo, montado num pedestal de cimento. A crença é que uma aldeia na área de Mylapore foi inundada quando um enorme tronco de árvore caiu do outro lado do rio. O rei local trouxe um paquiderme real para tirá-lo, mas a tarefa parecia impossível. Então, de acordo com a lenda, São Tomás apareceu, tirou o cinto da cintura e entregou-o a um espectador e pediu-lhe para puxar o tronco com ele. Ele fez isso e o log foi movido facilmente. Um mural no museu da Catedral ilustra esse incidente. O padre Raj disse que o posto atual é do mesmo tronco de madeira. Centenas de sobreviventes de rua que ficaram na igreja desde a tragédia os rezaram a São Tomás por salvá-los. “São São Tomás quem me salvou. Esta igreja não foi tocada pelas águas por causa do poder miraculoso do posto de Santo Tomás ”, disse K Sebastiraj, um pescador que procurou abrigo na Catedral de Santhome.

https://www.tldm.org/news7/twochurchesinindiasavedfromtsunamis.htm

Tumba de São Tomé em Chennai


Oração a São Tomé


“Ó Apóstolo São Tomé, experimentaste o desejo de querer morrer com Jesus, sentiste a dificuldade de não conhecer o Caminho, e viveste na incerteza e na obscuridade da dúvida, no dia de Páscoa. Na alegria do encontro com Jesus Ressuscitado, na comoção da fé reencontrada, num ímpeto de terno amor, exclamaste: "Meu Senhor e meu Deus!" O Espírito Santo, no dia de Pentecostes, transformou-te num corajoso missionário de Cristo, incansável peregrino do mundo, até aos extremos confins da terra. Protege a tua Igreja, a mim e à minha família e faz com que todos encontrem o Caminho, a Paz e a Alegria para anunciar, com paixão e abertamente, que Cristo é o único Salvador do Mundo, ontem, hoje e sempre. Amém.”

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square