• Não temos a data certa da posse

Monsenhor João Batista da Mota e Albuquerque


Monsenhor João Batista foi ordenado em: 15/abr/1933. Foi muito zeloso e construiu o Centro Paroquial da Glória para a promoção de diversas ações sociais.

Tornou-se em 1958 Arcebispo de Vitória, ES. Também lá foi muito estimado e tomou a frente em várias ações sociais e trabalhos nas paróquias. Seu reconhecimento refletiu uma escola estadual e uma rua com seu nome.

Padre João Batista da Mota e Albuquerque nasceu em Niterói, no dia 2 de setembro 1909.

Em 1927, aos 18 anos de idade, foi para Roma, onde estudou Filosofia no Pontifício Colégio Pio Latino-Americano. Recebeu a ordenação sacerdotal no dia 15 de abril de 1933.

Regressando ao Brasil, tornou-se diretor espiritual e professor no Seminário São José, no Rio, onde foi vigário da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus e da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Glória.

Em 1958, Dom João chegou ao Estado para tomar posse como o sexto bispo do Espírito Santo. No ano seguinte, com o desmembramento das dioceses de Cachoeiro do Itapemirim e São Mateus, e a criação da Província Eclesiástica de Vitória,

Tornou-se o primeiro arcebispo metropolitano de Vitória.

De 1962 a 1965, participou ativamente do Concílio Vaticano II, o maior acontecimento eclesial do século 20, tendo lançado as bases para as diversas reformas por que a Igreja passou nos anos seguintes, sobretudo na liturgia e na ação política e social.

Durante o Concílio, em Roma, Dom João uniu-se ao grupo de bispos da Igreja dos Pobres, que pregava uma vida de simplicidade e pobreza, mais próxima do povo e de suas necessidades. Esse compromisso marcaria todas as suas ações nos anos seguintes.

De volta ao Brasil, e com o auxílio de seu bispo auxiliar, Dom Luís Gonzaga Fernandes, Dom João deu início à implantação das Comunidades Eclesiais de Base, que encontraram no Espírito Santo um terreno fértil para florescer. O arcebispo também tornou-se um grande incentivador da participação dos leigos na Igreja, apoiando o trabalho das pastorais.

Sob a inspiração de Dom João, a Igreja de Vitória passou a ser reconhecida, nos anos 70, como uma Igreja progressista e afinada com a realidade. Nessa época, os movimentos sociais haviam começado a nascer, na esteira do agravamento das condições sociais provocado pelo êxodo rural e pela chegada dos migrantes atraídos pelos grandes projetos industriais.

Dom João foi solidário aos primeiros movimentos grevistas que surgiram no País após o golpe militar de 1964. Com seu apoio, foi criada a Comissão Justiça e Paz, que teve papel fundamental nos movimentos em defesa da moradia e dos direitos dos presos, lutas que o arcebispo apoiou bastante.

Dom João morreu no dia 27 de abril de 1984, após 27 anos dedicados à Igreja do Espírito Santo. Era um grande amante da música, e fazia questão de reger os cantos na Catedral e nas paróquias. Foi um religioso de vanguarda, tendo se esforçado para colocar em prática as decisões do Concílio Vaticano II, mas também deixou sua marca como líder espiritual. (Extraído do Livro – Personalidades Capixabas – D. João Batista da Motta e Albuquerque – organizado por Antônio de Pádua Gurgel)

Existe um colégio estadual e uma rua com o seu nome.

[if !supportLineBreakNewLine] [endif]

129 visualizações
Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square